12 de mai de 2017



Procurei em rostos conhecidos e desconhecidos
Em senhoras das classes rica, média e pobre
Nas mães que carregam crianças sorridentes e rosadas
Um semblante em que a luz divina se manifestasse
Encontrei em inúmeras mulheres da classe miserável
Espalhadas em terras secas, improdutivas e sem água
Esquálidas, acuadas, sem morada, bandeira ou futuro
Que entregam seus murchos seios com a pele ferida
Para engambelar o choro convulso do fruto desnutrido
A mercê de homens que um dia foram pequenos filhos
Hoje, com egos inflados pelo poder são selvagens humanos
Alimentam a guerra e sádicos incentivam ao extermínio
Te homenageio, por ti oro e peço a misericórdia do Criador
Por tua humildade e resignação em cumprir um Karma sofrido.

8 de abr de 2017

Reflorescer

Idealizar um novo começo
Sem passado e lembranças
Acompanhada da esperança
E o sussurro o vento manso
Mensageiro de bonanças
O silêncio da paz interior
Inundando  os sentimentos
Uma linha reta pontilhada
Nova rota a peregrinar
Um amanhã sem pressa
Colheita de cores e aromas
De imortalizados instantes.

30 de mar de 2017

Um colibri

Na energia da leve brisa matinal avistei,  a dança de um pequenino colibri , esvoaçante entre flores de meu jardim. Seus delicados beijos acariciavam  as flores  vermelhas de um guiné do mato. Suas idas e vindas demonstravam momentos de reflexão e a arte do pulsar da vida. Senti  vontade de fotografá-lo, mas o raciocínio lógico impediu que me afastasse da janela, pois perderia o balé de asas.

Colibris visitam cotidianamente meu jardim, mas este por estar só absorveu minha atenção. Sem condições de diálogo detive-me, no monólogo silencioso para não assustá-lo. Sensibilizada, após um tempo sem contar os minutos,  a belíssima ave alçou voo em direção oposta. Agradeci a Deus  poder apreciar uma demonstração de afeto entre o reino animal e vegetal, um momento de arte e poesia.

16 de jan de 2017

Ainda lembro

Escolhas de rotas
Acúmulo de derrotas
Melodias sem notas
Soluços sufocados 
Lagrimas furtivas
Rotos sentimentos
Vogais e consoantes
Palavras mal traçadas
Páginas amareladas
Registros de chegada
O aceno da despedida
Cortejo de inúteis dias
Anoitecer assombrado
Pesadelos renovados
Insônia, inimiga do sono

Rapsódias invadindo sonhos.