1 de jan de 2018

Dia Internacional da Paz



O que é a paz? Ocupa nossos compartimentos sutis, uma sensação quem sabe, de estar de bem com a vida. Poucos são agraciados com este estado de espírito, pois a humanidade de forma coletiva enfrenta inúmeros desafios para sobreviver, social, político, religioso e financeiro. Obstáculos se interpõe no cotidiano, o pensamento torna-se célere para solucionar ou minimizar situações que afligem e quando vem o sono, ele não restaura as energias, pois nosso inconsciente acumula o lixo de pensamentos nocivos. E assim, gradativamente, os homens caminham rumo ao caos e a degradação humana.
Existe uma forma de encontrá-la.? No meu ponto de vista sim, mas é necessário que seja alterada a escala de valores individual e dar prioridade aos bens imateriais, aqueles que não se adquire com dinheiro e sim com pensamentos, palavras e obras. O dever cumprido é a mola que impulsiona a paz e você, no aspecto político e social tem o dever de buscar soluções, junto aos órgãos governamentais para usufruir seus direitos. No aspecto religioso prega-se que a fé soluciona tudo. O que é este tudo? A religião lhe incentiva ao autoconhecimento, ao crescimento espiritual, mas ela não distribui dádivas sem merecimentos. No aspecto financeiro, dinheiro não cai do céu, se você não sair em busca de um trabalho digno que supra necessidades vai criar calo no “bumbum” na espera da sorte chegar. Não perca seu precioso tempo em criticar quem rouba, ilude e ganha milhões, a semeadura e colheita lhes pertence e seu tempo precioso deve ser usado, para multiplicar a prosperidade.

Você tem apenas que alicerçar em seu interior um estado de espírito chamado “paz” e quando exercitá-lo na plenitude distribuirá sementes, no seu meio ambiente, sociedade e universo. Não esqueça que você recebe sempre multiplicado, o que projeta de forma positiva ou negativa, para si e para os outros. 

28 de dez de 2017

Aos queridos amigos desejo um Feliz Ano Novo




Mais um Ano Novo se avizinha
Abram as portas com magia
Peçam licença ao elemento terra
Juntem gravetos das florestas
Agora chamem o elemento fogo
Para com maestria a lenha acender
Nas brasas o caldeirão da bruxa
Orem ao elemento água para encher
Murmurem pedidos ao elemento ar
O momento é o ápice da poção mágica
Fadas trazem flores perfumadas
Duendes as raízes encantadas
Gnomos guardiões os cristais
Ondinas entoam seus cantos
A alquimia ferve até a ebulição
Acrescentem os sentimentos
Esperança, amor, paixão,
União, estabilidade, equilíbrio
Sucesso, bonança e prosperidade
Quase pronta para o toque final
Aspergir dádivas aos semelhantes
Esta é a receita mágica para você.
Em 2018, o ano que vai nascer.

19 de dez de 2017

Boas Festas

Acercam-se festas de confraternização universal. Os interesses voltam-se à comemoração do Natal que simboliza sentimentos nobres os quais deveriam ser exercidos a nível familiar, social e humanitário no cotidiano, mas infelizmente, a tradição está voltada para uma data e ao consumismo, entre presentes e gastronomia. Fica ao encargo de uma parcela pequena de religiosos e fiéis questionar, sobre os andarilhos, crianças pobres, doentes em hospitais, idosos em asilos e orar pelos mortos, pois a grande parcela está atrelada à energia materialista.
O ano novo bate a porta e acresce a adrenalina, mais festejos, reuniões, mais presentes. Uma grande parcela reúne-se por dever, tanto familiar como social, ao redor de uma mesa como glutões.
Sua vida é uma paleta, as cores são suas energias e o artista é você. A paisagem é o reflexo de opções individuais, pois você é identidade única. Essas escolhas podem produzir um giro de 360º e fazer um universo melhor. O presente ideal é um carinhoso abraço e não custa nada, um doce sorriso que alimenta a alma.  A iluminada confraternização é a reflexão de como encontrar, o caminho da paz interior e felicidade.
O texto reflete minha essência de boas festas, mas respeito a sua, pois ao nascer você recebeu o dom do “Livre Arbítrio”.

Amo você meu amigo(a), um beijo no coração.

9 de nov de 2017




Uma réstia de luz
Em sua brevidade
Infiltra-se pelas frestas
De uma porta milenar
Danificada pelo tempo
Uma grotesca forma humana
Coberta com manto decrépito
Sem cor definida como as névoas
Presa a sentença da existência
Enquanto a casca se esvai
Na paisagem externa e no avesso
Uma face mostrando cicatrizes
Um nome enodoado incompleto
Uma escultura, “A Loucura”.





Amanhã, quando o último ciclo chegar
Estiver sentada em uma cadeira de balanço,
Cercadas de flores, embalada por crianças
Quero ter a certeza que não passei em vão,
Pelo caminho a mim destinado e percorrido,
Quero ler as páginas do Livro da Vida
Ver que não possui folhas em branco
Apenas inúmeras páginas amareladas
Mostrando que o tempo passou e foi longo,
Quero ter certeza que venci os desafios
Aprendi a cultivar a desejada felicidade
Conduzi na direção do Bem meu Livre Arbítrio
Cumpri meu destino florido ou de espinhos
Sempre lúcida para o terreno arar e semear,
O amanhã na vida é chamado de futuro
Um tempo de mistérios e desígnios
Quando será o presente, mais uma vez.


2 de nov de 2017

Porto das Almas


Noite escura, um rio entre brumas se descortina 
Um barqueiro decrépito em viagens contínuas
Transporta Almas por estranhas cercanias
Murmurando uma canção triste e dolente
Pois nem todas estão conscientes da travessia
Algumas pedem clemência desejando ficar
Outras, como zumbis, empurradas sem dó
E o barco desliza no rio carregando o fenecer
Os obcecados dizem que necessitam de moedas
Os céticos como insanos dão gargalhadas
Os evoluídos sabem que não é este o processo
Assim decorrem épocas e as estórias se propagam
Com ou sem barqueiro todos fazem a travessia
Sem rótulo de raças, seres cristãos ou ateus
E no Porto das Almas, suas incertezas ancoram. 

20 de out de 2017

O Poeta

A inspiração borda sentimentos
Delicadas filigranas entrelaçadas
Prata para veladas percepções
Ouro para preciosas sensações
Bronze para emoções em dualidade
A inspiração se transmuta em alquimia
E o poeta preenche linhas em branco

Alegorias e metáforas em poesia.