29 de ago de 2014

Soneto - Infinitude da Lua


A lua em sua infinitude sacra e profana
Homens, mulheres, em profundo silêncio
No grande círculo sagrado à Lahanna
Agradecendo bençãos do novo equinócio

De grande beleza a mitologia na essência
A tradição reveladora e espiritual benevolente
Transcende e se manifesta em abrangência
Nos ciclos do tempo, passado e presente

Racional e o incorpóreo dialogam em enigmas
Sementes de novos conceitos e paradigmas
A realidade e visões de múltiplos universos

A diversidade do misticismo, sem dúvida
A sabedoria, entre deuses e elementais

Revelam à todos, o renascer da vida.