28 de nov de 2014

Poesia - Há um tempo...



Há um tempo sem escolhas,
Para  ocorrer o primeiro vagido
Ou, para o estertor final da vida
Para plantar sementes das metas
Na fértil lavoura da esperança
Para vencer lutas desgastantes
E colher os louros das vitórias
Há um tempo definido,
Para moldar a obra da existência
Desvendar o mistério de sua essência
Valorizar oportunidades para sorrisos´
Por todos os sonhos realizados
Ser sábio para conviver com a sina
Ultrapassar desafios e infortúnios
Há um tempo aleatório,
Onde  Chronos, inexoravelmente
Permite lembranças esparsas
Só monólogos com a memória.