7 de nov de 2014

Poesias - Peregrino da Noite



Com passos cansados,
Respiração ofegante
Entre as idas e vindas
Caminha o peregrino
Nas brumas da escuridão
Um homem sem nome
Com a garganta travada
Um débil sopro de vida
Sem temer o vento forte
A chuva que encharca
As parcas vestimentas
Lá vai ele, o peregrino lá vai
Esfolando pés nos cascalhos
Para um encontro marcado
Com o inevitável, juízo final.



Poemas - A Busca


Reflexões - O fracasso