1 de mai de 2015

Poesia - Rota dos quatro ventos



Ventos  soprando
Vestidos de névoa
Árvores em nudez
Curvadas sem folhas
Um  violino distante
Acordes melódicos 
Lânguidos, monótonos
São soluços que ecoam
Nas notas que serpenteia
As curvas do itinerário
Onde silhuetas cinzentas
Movem-se desordenadas
Na rota dos quatro ventos
Em busca do destino traçado
Apenas um lugar no tempo.