20 de jun de 2015

Poesia - Adeus outono



Bagagens prontas
Apenas folhas mortas
Soluços entrecortados
Assobios do vento
Sinos que tangem
Olho o firmamento
Triste e cinzento
O cair da tarde
Lânguido e monótono
Estação da despedida
Outono diz adeus à vida
Abraça o horizonte
Entre a neblina cinzenta
Lágrimas e uma silhueta
Um suspiro em solene silêncio.



Haikais 887


Haikais 886


Indrisos - Sons


Poesia - A Solidão





Quando cerro meus olhos na noite
E sinto-me só em meio a tantos
Sei que o fantasma da solidão
Faz-me companhia e lembra
De forma insensata e incessante
Erros, perdas, a agonizante vida
Entre as horas que somam o tempo

Convivo com sonhos desfeitos,
Uma realidade cruel e sem cor
Reticências, vírgula, ponto final
É voltar-se ao interior, ao caos
É sentir-se livre, sem liberdade ter
É o silenciar envolvido pela dor
Dilacerando a carne que sangra

E observar entre as brumas da v ida
Esperanças e lembranças fenecerem
Como rastro de um vazio imenso
Ocupado pelo esquecimento
Onde a alma presa chora

Em prantos, seu desalento.  

11 de jun de 2015

Haikais - 885


Haikais - 884


Indrisos - Sinfonia


Poesia - Aparências




O universo é permeado de aparências
Uma soma de luzes, cativantes brilhos
Onde permanece oculta a sabedoria
E a roda da vida em eterno oscilar
Entre os sonhos, quando ascende
Com emoções flutuando ao acaso
Buscando no futuro uma janela de luz
E a crua realidade ao despencar,
Pois o destino inconsistente é sina
Uma escala do tempo, fatias de vida
Irônico, frio, tornando-nos órfãos

Dos sonhos, esperanças e vãs aparências.

Haikais - 883


Haikais - 882


Indrisos - Segundos


Poesia - Anseios



Apenas um rosto, essência desconhecida,
Habita emoções entre os crepúsculos
Se apodera das sensações que oscilam
De meus sentimentos já seduzidos
Do desejo que arrepia e abate
Um corpo suado em sonhos agitados
Um corpo acordado em eterna letargia
A mente obcecada por tua voz melodiosa
Que aturde e se evidencia nas lembranças
Enfeitiçada, caminho por veredas distantes 
Sinto tuas quentes mãos me acariciando
Teus lábios lascivos arrebatando beijos

Dois corpos, duas Almas, 
Nas asas do tempo.

Poetrix - Outono/ Nova Estação/ Terra/Entardecer/O vento avisou






Poetrix - Névoas


Poetrix - Sombras


Poema - Portas da Memória