11 de jun de 2015

Poesia - Aparências




O universo é permeado de aparências
Uma soma de luzes, cativantes brilhos
Onde permanece oculta a sabedoria
E a roda da vida em eterno oscilar
Entre os sonhos, quando ascende
Com emoções flutuando ao acaso
Buscando no futuro uma janela de luz
E a crua realidade ao despencar,
Pois o destino inconsistente é sina
Uma escala do tempo, fatias de vida
Irônico, frio, tornando-nos órfãos

Dos sonhos, esperanças e vãs aparências.