7 de ago de 2015

Poesia - Êxtase



Nós, a sós, em caminho inexistente
Nas estradas povoadas de quimeras
Nas sinuosas curvas da fantasia
No labirinto e emoção das esperas
Teu olhar sensual permeado de desejo
De teu beijo, sorvo o néctar dos deuses
Tuas mãos que dedilham meu corpo
Extraindo dos ais, uma sinfonia
Sentir que és minha âncora de prazer
Ânfora transbordante para saciar a sede
Da fonte seca e desfalecida do amor
Em dias frustrados e noites de desejos
E, em um tempo de doce ilusão
Eu e Tu, na sintonia das emoções
E, entre nós, a tempestade da paixão.