23 de out de 2015

Poesia - Atração Fatal




São olhares que se cruzam, se atraem, se fixam
E mesmo na imensa multidão não se perdem
São sorrisos cativantes que falam mais que palavras
Enviando mensagens secretas de sedução e fantasias
É o contato de mãos suaves que se encaixam ao toque
Explodindo a carência, o incontrolável desejo
É o perfume exalado que embriaga de forma estonteante
Como fogo percorrendo o corpo e explodindo a paixão
Paixão sem fim, paixão em mim, paixão em ti
São os lábios de mel às vezes suaves, às vezes vorazes
Beijando a pele trêmula com a boca molhada
No mistério inconsequente da possessão
No despertar irreverente da volúpia e do delírio
Uma soma de momentos irracionais de fascínio
Nada mais, apenas uma Atração Fatal.



Poema - A Natureza


Indrisos - Pincelei de Verde





17 de out de 2015

Poesia - Anoitecer



O sol, mansamente, declina no horizonte
Em ritual mágico e de intensa beleza
Permite que a noite se anuncie
Cubra a terra alterando as cores da natureza
Em degrade com suaves nuances do arco-íris 
Momento em que sonho e realidade se mesclam
De mãos dadas, verso e prosa, fazem uma canção
A passarada busca abrigo em seus ninhos
Os seres buscam abrigo em seus lares
A Alma imortal, sua essência renova
O firmamento recebe as estrelas ordenadas
Que formam um fino tapete iluminado
Para abrigar a Lua e seus sonhos de amor.




Haikais 904


Haikais 903


Poetrix - Sentimentos


Poesia - A mente


11 de out de 2015

Poesia - Criança Poesia



A criança é poesia, já nasce cantando
Com seu primeiro e forte vagido
Avisando ao Universo: aqui cheguei
Assim como a poesia, ela encanta
E com gestos meigos e espontâneos
Com doces palavras de afeto
Abraços apertados, beijos estalados
Conquista seu espaço na família
Sabe quando são amadas e protegidas
Dos infortúnios do mundo de perigo
As crianças são cristais transparentes
Prontos para uma lapidação responsável
Circundados de sentimentos nobres
Pequena, frágil, de mãos diminutas
Com passos pequenos e inseguros
Necessita da mão forte para apoiá-la
A criança poesia dorme com melodias
Acorda sempre com um puro sorriso
Pronta para as peraltices do dia
A criança poesia floresce a inocência
Entre limites e possibilidades
Entre cair e levantar faz o aprendizado
Só pede à família que lhe guie.

3 de out de 2015

Poesia - A Natureza é um poema


 Os galhos se cobrem de folhas
Os campos se vestem de verde
Ornamentados de singelas flores
Margaridas, papoilas, centáureas
Malmequer e formosos girassóis
Os beija-flores fazem acrobacias
Para sugar o doce pólen das flores
Dálias, açucenas e begônias
E borboletas pousam suavemente
Zínias, lantanas e verbenas
A natureza é um poema sem letras
Sem linhas nos pergaminhos
É melodia para os cinco sentidos
Beleza incomparável captada
Pela visão iluminada da Alma.  



Haikais 900


Poetrix - Metamorfose