22 de mar de 2015

Poesia - Uma canção para Zéfiros



Uma canção preenche a floresta encantada
Inúmeras folhas friccionam as cordas de aço
Produzindo sons em um violino afinado
Uma escala musical entre semitons
Cada corda com seu timbre sonoro
Um Sol, para o encanto e mistério,
Um Ré, para a sonoridade profunda,
Um Lá, para a estação outonal abraçar,
Um Mi, para Zéfiros, o vento incisivo,
Que pincela na tela do firmamento
Nuvens velozes, sem norte, em desalinho,
Na terra, entre bosques, planícies e veredas,
Folhas secas em redemoinho.