8 de set de 2015

Crônica - A vida pede passagem



Comprei uma passagem e decidi amainar a saudade, saudade da terra natal, saudade da família, pessoas que não abraçava há muito tempo. Absorvi energias, me senti amada e uma alegria intensa me envolveu. Caminhei muito olhei tudo, como se fosse a primeira vez, respirei ar de maresia, de outras árvores, de outras flores. Escutei peripécias de meu tempo de criança, as artes ousadas como em um dia de chuva, pés descalços, brincar com as bonecas preferidas, joelhos esfolados, galos na cabeça, brincadeiras na orla do mar, meus medos e nem lembrava mais, uma  mão ensanguentada, quando quebrei a vidraça da janela gritando mãe, pai. Uma sensação gostosa de paz invadiu meu ser e prometi que, sempre que a vida me pedir passagem voltarei a realizar, esta ou outras tantas viagens.