12 de fev de 2016

Poesia - Cores da Alma



Cores da Alma

Uma paisagem de sucessivas vidas
Receptáculo de cores iridescente
Que oscila entre tons coloridos
Em cada desejo, matizes se evidenciam
Em cada pensamento uma nuance
Pois só ela se mascara e se descobre
Entre conflitos e emoções discordantes
Entre  inconsciência e  discernimento
Um arco-íris que ilumina sentimentos
Entre disfarces de mistério e fantasia.




8 de fev de 2016

Poesia - Estação Primeira de Mangueira




Estação Primeira de Mangueira

Bateria da Escola dá o grito de guerra
Lá vem o surdo  e sua batida avisa
Que é hora de iniciar o  desfile
O som do tan-tan  marca o ritmo
Acompanha o reco-reco para a melodia
Violão, bandolim e a famosa cuíca                                
Tamborim e pandeiro fazem a festa
Adrenalina toma conta do coração
Inicia o desfile de cores e fantasias
Na avenida o povo eufórico aplaude
Joga para o ar confete e serpentina
Enredo movimenta corpos e mente
Olhos brilham e rostos sorridentes
Realidade é o momento presente
A euforia toma conta do universo
A imaginação impulsiona a criatividade
Mestre sala e porta bandeira com glamour
Pedem licença e cumprimentam foliões
Ala por ala mostra a beleza das alegorias
Lá vai ela, verde e rosa, com  bênçãos de Oyá
Minha amada, Estação Primeira de Mangueira.

5 de fev de 2016

Poesia - Um caminho




Percorrido entre os ciclos da vida
Quando passado, um jardim florido
Até que o caminho ficou agreste
Sem flores,  aromas, só espinhos
Quando presente, novas sementes
Brotaram entre as estações do tempo
Uma missiva, mensageiro misterioso
De um remetente chamado destino
A esperança  de um sutil  renascimento
A oportunidade de um novo florescer
Pois em cada flor existe uma linguagem
Que promete o néctar da felicidade.