25 de jul de 2016

O Escritor

Não tem hora, não tem dia, tem o minuto presente, onde a inspiração brota e utiliza a pena e pergaminho para grafar.  São inúmeras obras desde a vanguarda clássica até o modernismo, onde o escritor escreve o que pensa, o que sente e deixa uma semente para reflexão ao seu leitor. O estilo pode ser individual, onde o escritor manipula a linguagem literária, com conteúdo para determinados leitores ou, estilo de época, que falam de um determinado período histórico, escritos por vários autores e direcionado à todos os tipos de leitores.
É no ato e escrever que o indivíduo exerce sua liberdade, com identidade única e intransferível. Alguns se utilizam da escrita como profissão, para obter um rendimento econômico. Outros se apropriam da escrita para registrar suas experiência individuais, em viagens e no convívio do cotidiano. Para outros é apenas um passatempo, uma forma de expressar suas percepções, emoções e sentimentos, um acervo particular e outros tantos, para expressar seu ponto de vista. Algumas obras atravessam fronteiras e outras, se perpetuam através do tempo.  
Ser escritor é a arte de expressar sua intelectualidade através da escrita.

20 de jul de 2016

Aos amigos e amigas beijokas com carinho



Um amigo, dois amigos, três amigos
Não importa o número da colheita
No percurso de nossa existência
Fazem parte de nossas lembranças
Quando estão em silêncio e distantes
Ou, quando partiram para outro plano
Fazem parte da alegria do cotidiano
Quando estão presentes e nos cercam
Alegram-se com nossas vitórias
Consolam quando ocorrem derrotas
Amigos são feitos de sutis de energias
Que circulam nas sensações e emoções
Amizade se sustenta de forma atemporal
Desconhece passado, presente e futuro
São sementes plantadas nos sentimentos.

19 de jul de 2016

Crônica - Verbos

Na atualidade, as conjugações verbais transmitem mensagens que alteram o humor do indivíduo. O Verbo serve o bem e o mal em sua oralidade ou escrita. Os meios de comunicação são habilidosos em informar, descrever e narrar. Informa-se o mínimo ou oculta-se a verdade, fatos irrelevantes se proliferam e relevantes ficam engavetados. Narrações são extremamente hábeis, pois a entonação da voz, ativa ou passiva conduz à reflexão. E assim decorre o cotidiano e o homem, através dos meios de comunicação de sua preferência alimenta, emoções com notícias desgastantes.

Os atentados e suas tragédias fazem parte de um passado recente, onde os verbos “morrer” e destruir” foram conjugados. O teatro da política são notícias do presente, onde o enredo da peça é a corrupção em diversos níveis. Os atores são os politiqueiros escolhidos pelo povo e a plateia,  representada por uma sociedade manipulada pelo sistema conjuga, os verbos “renunciar” e “roubar”. Qual verbo será conjugado no futuro, no período dos Jogos Olímpicos de Verão, no Brasil?

6 de jul de 2016

Parabéns Princesa do Sul

Princesa do Sul e seus 204 anos.

Dizia-se no passado que, o nome de nossa cidade originou-se do meio de transporte fluvial usado pelos indígenas, uma canoa de couro batizada com o nome de Pelota, a qual deu origem ao nome do arroio Pelotas, o qual abrigou em suas margens, a proliferação das charqueadas e impulsionou o movimento da região. Desta forma recebeu, o nome de Vila de São Francisco de Paula e passou à categoria de cidade. A primeira referência histórica do surgimento do município data de 1758.
Em virtude do expressivo número de habitantes e a riqueza local a cidade recebeu também, o nome de Pelotas, conhecida como “Princesa do Sul”, por ser considerada a cidade mais importante da província, a qual exerceu uma grande influência econômica, cultural e política em todo o Rio Grande do Sul.
A elite de charqueadores trouxe arquitetos famosos da Europa para construir seus palacetes, formando um conjunto arquitetônico único e monumental, de estilo Eclético, que denota sua opulência. Pelotas dos barões, viscondes, conde os quais construíram, uma sociedade aristocrática. Pelotas com suas etnias, indígenas, negros africanos, portugueses, alemães, italianos, franceses, poloneses, judeus, árabes libaneses, gente que aqui chegou e fixou residência por oportunidades que a cidade oferecia. Pelotas dos teatros, dos poetas, dos artistas. Pelotas conhecida como a Capital Nacional dos Doces.  Pelotas dos escravos que contribuíram para a riqueza de seus senhores, com o trabalho braçal no cotidiano, sob as intempéries e humores dos charqueadores.
Pelotas atravessou a metade do século XVIII, os séculos XIX, XX e nos primeiros anos do século XXI mantém seu patrimônio cultural, com edificações restauradas para próximas gerações.
E assim, amanhã 7 de julho a Princesa do Sul comemora seu 204 aniversário com uma semana de programação extensa, rememorando fatos e cidadãos que contribuíram com o progresso do Município, nos aspectos social, econômico, político e religioso.
Parabéns Princesa do Sul.