31 de ago de 2016

O verbo "tramar" na política

Observa-se que, no processo do Impeachment, o verbo “TRAMAR” foi usado na maioria das conjugações. Com o passar dos eventos, mentes torpes o usaram no gerúndio “foram tramando”, mas esqueceram que, o povo não é otário para ser enganado. Ficou bem claro os  conchavos políticos que ocorreram, para acalmar a sociedade em suas reivindicações e para salvarem lobos ocultos em lã de cordeiro.

As delações se avolumam e todos temem ser o próximo investigado, desta forma, o resultado foi um complô conjugado, no particípio passado onde tudo foi “tramado”. O que esperar de um Senado corrompido por descalabros institucional, o que esperar de um presidente do Senado e do Supremo Tribunal Federal, que tem como dever zelar, pelo cumprimento da Constituição permitem, que a ideologia política seja superior a imparcialidade?

E o povo discute, as redes sociais se inflamam com frases pejorativas, em ameaças de exclusão de amigos oponentes, os  pensamentos nocivos se multiplicam enquanto, os artistas do circo da corrupção, nos menosprezam atrás das cortinas.


Nesta data a justiça não venceu, mas a “trama” se evidenciou. Creiam que este assunto não se esgotou e que, de acordo com as circunstâncias, estes personagens estarão dispostos a focar uma meta no futuro, “nós tramaremos”.