26 de ago de 2016

Poesia - Duo

TU, meu sonho que mergulha
Na atemporalidade da utopia
EU, passageira da temporalidade
Faço o percurso em tua companhia
Invadimos o infinito, o arco-íris
Assim, ludibriamos a densa noite
Abrimos as portas da felicidade
Desvendamos mistérios da magia
Das tênues sensações e emoções
Que conduzem aos sentimentos
Aspirações ousadas se frutificam
Entre os verbos querer e realizar
Inconsciente luto pela sobrevivência
Não quero o alvorecer, novas manhãs
E despertar na funesta realidade
Vestir-me de ossos, carne e pele
Perambular por restritos caminhos
Conviver com a mudez da alma.