27 de dez de 2016

Papa Francisco

Ao ler  um artigo em um Blog decidi escrever, sobre questionamentos que me acompanham há muitos anos:

Não professo o catolicismo,  mas sempre tive respeito pelo religioso que ocupa a cadeira do Papa, pois acredita-se que, sua escolha é fundamentada no caráter e na semeadura na jornada da fé. Amo o Papa Francisco por sua humildade e a sabedoria,  por sua ampla visão humanitária, pela ousadia de mudar regras para extirpar da Igreja o conservadorismo que afastou muitos fiéis, na medida em que entenderam que, os sete pecados capitais: Soberba;  Avareza; Luxúria; Inveja; Gula; Ira;  Preguiça, tão condenados pela igreja são cometidos,  por sua alta cúpula eclesiástica  e não, pela maioria do povo que transita na miséria do corpo, mente, e espírito.

Que o tempo que resta no exercício de suas funções seja o necessário, para que a semeadura de paz entre os povos, a igualdade entre homens, a necessidade das sociedades aceitarem o indivíduo com suas escolhas, a propagação do amor universal floresça na humanidade. Francisco será um Papa, que deixará na Igreja Católica, sua marca indelével.