30 de mar de 2017

Um colibri

Na energia da leve brisa matinal avistei,  a dança de um pequenino colibri , esvoaçante entre flores de meu jardim. Seus delicados beijos acariciavam  as flores  vermelhas de um guiné do mato. Suas idas e vindas demonstravam momentos de reflexão e a arte do pulsar da vida. Senti  vontade de fotografá-lo, mas o raciocínio lógico impediu que me afastasse da janela, pois perderia o balé de asas.

Colibris visitam cotidianamente meu jardim, mas este por estar só absorveu minha atenção. Sem condições de diálogo detive-me, no monólogo silencioso para não assustá-lo. Sensibilizada, após um tempo sem contar os minutos,  a belíssima ave alçou voo em direção oposta. Agradeci a Deus  poder apreciar uma demonstração de afeto entre o reino animal e vegetal, um momento de arte e poesia.