12 de mai de 2017



Procurei em rostos conhecidos e desconhecidos
Em senhoras das classes rica, média e pobre
Nas mães que carregam crianças sorridentes e rosadas
Um semblante em que a luz divina se manifestasse
Encontrei em inúmeras mulheres da classe miserável
Espalhadas em terras secas, improdutivas e sem água
Esquálidas, acuadas, sem morada, bandeira ou futuro
Que entregam seus murchos seios com a pele ferida
Para engambelar o choro convulso do fruto desnutrido
A mercê de homens que um dia foram pequenos filhos
Hoje, com egos inflados pelo poder são selvagens humanos
Alimentam a guerra e sádicos incentivam ao extermínio
Te homenageio, por ti oro e peço a misericórdia do Criador
Por tua humildade e resignação em cumprir um Karma sofrido.